Sonho possível: prefeito assina protocolo para construir estádio acústico para o CRF na gávea

A  Prefeitura do Rio de Janeiro formalizou na manhã desta sexta-feira a assinatura do Protocolo de Intenção para a Construção do Estádio Acústico da Gávea. Depois de muitos anos com a Associação de Moradores do Leblon se colocando contra o uso do local para jogos por conta de barulho e trânsito, o prefeito Marcelo Crivella mostrou-se favorável a uma remodelação do terreno do Flamengo, e a intenção é usar a Gávea para jogos de menor apelo e com capacidade aproximada de 25 mil pessoas – a ideia inicial era para cerca de 20 mil, mas o número mencionado no evento foi maior. É bom destacar que é apenas o início do processo: o Rubro-Negro ainda precisa definir seu projeto de estádio para posteriormente correr atrás da diversas licenças que necessita para a construção da arena.

 Estiveram presentes no evento na Prefeitura, além de Crivella, o presidente rubro-negro, Eduardo Bandeira de Mello, a subsecretária municipal de Esportes e Lazer – e ex-presidente do Flamengo -, Patrícia Amorim, e a secretária municipal de desenvolvimento, emprego e inovação, Clarissa Garotinho.
– Temos o mais importante: a boa vontade do prefeito. A vontade do clube todos sabem que sempre tivemos. Recursos também não serão problema. O importante é saber que temos aval e compromisso do prefeito para realizar nosso sonho. Claro que há outras etapas burocráticas, vamos seguir as regras do jogo.
Bandeira revelou que o Rubro-Negro projeta a construção de um estádio funcional, confortável e de baixo custo. Destacou também que outras novidades estão anexadas ao projeto do Flamengo, situação que pode gerar geração de emprego e valorização da área.

>>Clique no nosso número para ter notícias de graça 75 99879-7106. TOTALMENTE DE GRAÇA!! >>

– É perfeitamente possível minimizar o barulho. Será superfuncional, vai ajudar a recuperar aquela área de trás da Gávea e com acesso por três estações de metrô. A ideia é ser um estádio com custo barato por torcedor. Não tem necessidade de ser luxuoso. Tem que ser funcional e confortável. Há a geração de emprego na construção do estádio e a valorização da área. Um estádio tem a ele acoplado uma série de elementos, como loja de materiais esportivos, restaurante, bares temáticos, e existe também ideia de criação de um centro de convenções do esporte. Vamos ter um estádio bonito, interessante e funcional – afirmou o presidente.

FONTE:globoesporte.globo.com

Caso tenha gostado, adicione 5 estrelas!
[Total: 0 Average: 0]

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

13 − doze =