Entenda um pouco mais sobre a esquizofrenia: doença que tem tratamento!

 A esquizofrenia é uma doença que designa um conjunto de psicoses endógenas cujos sintomas fundamentais apontam a existência de uma dissociação da ação e do pensamento, expressa em uma sintomatologia variada, como delírios persecutórios. Hoje no Brasil cerca de 2,5 milhões de pessoas sofrem com a mesma, alguns de seus sintomas são: Distúrbios formais do pensamento,
alterações no comportamento ou até alterações no afeto.

A esquizofrenia é uma das doenças mais interessantes e intrigantes da psiquiatria, além de ter sido muito estudada desde o século passado. Pode se manifestar de inúmeras formas, com sintomas variados como visto acima. É um quadro que provoca destruição neural, possui carácter crônico (sem um tratamento que cesse a doença) e apresenta-se comumente com prejuízos pessoais e familiares. Pode, porém, desempenhar várias funcionalidades, se bem tratado, aumentando a qualidade de vida.

>>Clique no nosso número para ter notícias de graça 75 99879-7106. TOTALMENTE DE GRAÇA!! >>

Quando e por que a esquizofrenia se  manifesta?

Acontece aproximadamente 1% da população, com a possibilidade de quatro casos novos a cada 10 mil habitantes. Possui uma forte chance de herdabilidade (de que a doença seja passada entre as gerações). Dessa forma, fatores genéticos, complicações – precoces, como problemas obstétricos, no parto, no desenvolvimento do feto por exemplo: baixa oxigenação para o feto,  e tardias, como uso de drogas (principalmente a maconha e anfetamina) possam facilitar a manifestação da doença.

Há alguma prova científica apoiar o uso de intervenções adiantadas impedir em risco a progressão de um indivíduo no sofrimento da esquizofrenia. Propor que estas intervenções ajudem a melhorar resultados a curto prazo, embora o benefício total não seja ao longo do tempo claro.Os Indivíduos que são mais prováveis de se beneficiar incluem aqueles que têm a experiência de um único episódio demente. A terapia de comportamento Cognitiva pode ajudar a reduzir o risco de um episódio subsequente e os pacientes da ajuda impedem a progressão à esquizofrenia.

Caso tenha gostado, adicione 5 estrelas!
[Total: 0 Average: 0]

Comente