Mercado Livre e Correios em divergências constantes.

Aumentos! Correios chegam até 51% no bolso do consumidor

No último dia 6 de março, os Correios ião fazer entregas que ninguém desejaria receber. A instituição terá um aumento abusivo que pode chegar a até 51% no frete dos produtos a todos que compram e vendem pela internet, mercado livre e correios em divergências.

Fretes abusivos!

Devida a inflação do último ano, que foi em torno de 3%, o aumento da taxa de entrega dos Correios chega a  ser 17% maior. De antemão isso mostra a ideia do abuso que está sendo, com este aumento, o frete brasileiro será 42% mais caro do que o da Argentina, 160% mais caro do que o México e 282% mais caro do que o da Colômbia, países em que o Mercado Livre também atua.

No Mercado Livre mais de 110 mil famílias têm o marketplace como sua principal fonte de renda. No entanto, essa medida vai prejudicar os mais de 50 milhões de consumidores que compram online no Brasil, principalmente aqueles que vivem em áreas distantes dos grandes centros. Em especial, Norte e Nordeste do Brasil, onde o comércio eletrônico é muito mais do que uma comodidade e sim uma necessidade, devido a escassez de recursos próximos a sua região.

>>Clique no nosso número para ter notícias de graça 75 99879-7106. TOTALMENTE DE GRAÇA!! >>

Essa escolha repassa os custos da ineficiência operacional dos Correios e causam um retrocesso na forma de comércio que mais cresce no mundo. Um problema que impacta diretamente os pequenos e médios empreendedores, que são importantes fontes geradoras de empregos no Brasil.

O Mercado Livre tende a mostrar que o número de pessoas atingidas é grande, e a revolta do consumidor também deve ser, as redes sociais estão sendo veículo de expressão em massa, muitos estão utilizando a hashtag #FreteAbusivoNão, com isso estão mostrando a insatisfação, em busca de pressionar os Correios a voltar atrás neste abuso, o comércio livre na internet deve acontecer se o frete for justo.

Ultimas horas…

O Mercado Livre conseguiu uma liminar na justiça que impede o aumento dos preços nos fretes, até então a medida está vigente, devido a medida, somente o Mercado Livre está isento dos aumentos, mas outras instituições estão correndo atrás de também ficarem fora dos aumentos, pois isso além de assustar aos consumidores irá, dá uma queda brusca nas receitas das mesmas. Não se sabe até quando a medida está valendo.

Comente